Curvatura Peniana

Solução para os seus problemas sexuais

A doença de Peyronie carateriza-se pela formação de uma placa dura por baixo da pele do pénis, que produz um encurvamento ou deformação do pénis, ou seja, um encurvamento para o lado onde os tecidos estão endurecidos. A doença pode aparecer de forma leve e desaparecer espontaneamente, em 6 – 18 meses. Não é uma doença maligna, no entanto pode causar dor durante a ereção e afetar substancialmente as atividades sexuais. Nos casos mais severos o endurecimento das placas podem causar dor no pénis. A curvatura peniana pode estar associada à disfunção erétil. Se o endurecimento das placas se produzir na parte superior e inferior do pénis pode produzir-se um encurtamento do mesmo. Segundo alguns estudos, demonstra-se que a doença de Peyronie está presente em 1% dos homens. É mais comum nos homens com idades compreendidas entre os 40 e 50 anos, embora se registe o aparecimento em jovens e idosos. Como não corresponde a uma faixa etária concreta e como foram observados alguns casos em membros da mesma família acredita-se que poderá ser uma doença hereditária.

DETALLES DEL TRATAMIENTO

SINTOMAS DA CURVATURA PENIANA

Normalmente, o paciente comparece na consulta referindo dor ou incapacidade de manter uma relação sexual. Por vezes, o endurecimento de alguma zona do pénis pode produzir impotência sexual. Apesar das causas que produzem o endurecimento não estejam totalmente explicadas, alguns investigadores sugerem que podem ter sido produzidas devido a algum traumatismo, que por sua vez produziria uma hemorragia interna no pénis (no corpo cavernoso). Isto causaria uma inflamação que seria curada lentamente. E, se não for curada produziria uma nova hemorragia e a inflamação que poderia tornar-se crónica endurecendo de forma permanente os tecidos (fibrose) podendo chegar a desenvolver calcificação em determinadas zonas penianas.

TRATAMENTO DA CURVATURA PENIANA (NÃO CIRÚRGICO / CIRÚRGICO)

No que se refere ao tratamento, tal como comentámos anteriormente, é necessário saber o porquê, pois a placa endurecida pode desaparecer de forma espontânea, ou seja, é recomendado esperar 1 a 2 anos antes de procurar uma solução cirúrgica. Os tratamentos não cirúrgicos têm-se mostrado ineficazes para esta doença. Alguns médicos recomendam a administração oral de vitamina E ou Complexo vitamínico B. Outros investigadores também provaram injetar diretamente com colagenase, corticoides, dimetilsulfóxido, etc, mas sem grandes resultados. Também se experimentou utilizar a radioterapia sobre o pénis com doses baixas, sem que tenham sido obtidos grandes benefícios na correção da curvatura peniana, em vez disso foram registados alguns efeitos indesejados. São dois os tratamentos cirúrgicos: remoção completa da placa endurecida colocando um enxerto de pele ou de outro material artificial; remoção de uma parte de tecido do lado contrário à placa, sem atuar na mesma. Esta última intervenção conhecida como cirurgia de Nesbit, em honra ao cirurgião plástico que descobriu esta técnica, é a mais utilizada na atualidade. O paciente deve estar ciente que esta intervenção pode significar um encurtamento até 2 centímetros do pénis. Nos casos em que são verificados impotência sexual devido à curvatura peniana, pode ser colocada uma prótese no pénis (cilindros de silicone que são colocados no interior do pénis).

Tratamentos relacionados

Ginecomastia

Aumento Peniano

Aumento do Pénis

Aumento Tridimensional do Pénis

Marque a sua consulta e esclareça todas as suas dúvidas
Primeira consulta gratuita